Grafeno: quais são os meios de obtenção?

De fato, o grafeno surgiu de uma hora para outra e chamou muita atenção. O material tornou-se muito querido por especialistas graças às suas propriedades únicas. 

Alguns consideram sua descoberta tão importante quanto o plástico e o silício!

Bem, julgando que esse material é a chave para diversos moldes do futuro, devemos falar um pouco mais dele. 

Primeiramente, você deve saber que ele é o material mais fino do mundo, promete também revolucionar a indústria de tecnologia rapidamente. 

Leveza, resistência, transparência e outras características fazem dele um material super importante.

A obtenção dele? Bem, ele é formado a partir de uma camada bidimensional de átomos de carbono. 

Ficam organizados em estruturas em formatos de hexágonos, com a altura de um único átomo. Um exemplo para obter o grafeno rapidamente é a extração das camadas superficiais do grafite.

O que é o grafeno?

Bem, falando sobre o que é o grafeno devemos recorrer a parte física e química do material. 

O primeiro ponto para entender tudo é saber que ele é feito a partir do carbono, na verdade, ele representa uma das várias formas deste material. 

Algumas outras você deve conhecer, como é o caso do diamante e também do grafite.

Com isso em mente, já dá para entender um pouco mais sobre sua extração também. Ele é sim tirado do carbono, geralmente o grafite é o material utilizado para tal. 

Também é importante falar sobre suas características físicas, como a resistência enorme, cerca de 200 vezes maior do que a do aço.

Mas, talvez o mais importante, além de suas características já ressaltadas, é seu valor para produção. Seu custo é baixo e, para o Brasil, que detém as maiores reservas desse material no mundo, os benefícios são óbvios.

Aplicações do grafeno

Como importante material que representa para a indústria, ele é perfeito para diversos processos. 

Graças a suas propriedades básicas ele é facilmente utilizado em modelos de comunicação óptica, circuitos e dispositivos transparentes, como celulares. Além disso, adesivos transportadores e implantes neurais entram nessa lista.

Com isso toda a indústria se prepara para uma nova era. A tecnologia pode se desenvolver como nunca graças a esse pequeno e leve material, que chega a ser dezenas de vezes mais leve que uma folha de papel. 

Mas, para chegar a usar esse material, os especialistas precisam o obter de uma forma rápida. Evidentemente, a aplicação do grafeno está completamente ligada à quantidade de extrações possíveis. 

Já foi um material em fase de testes e agora representa uma solução para muitos problemas que outros metais não conseguiram resolver.

Obtendo o grafeno

Pois é! O método para obter esse material é bem simples. Um exemplo de produção desse material que pode ser realizado com simples objetos é grudar e desgrudar uma fita adesiva em uma lâmina de grafite. 

É claro, esse seria um processo demorado e por isso não vale a pena utilizá-lo dentro da indústria.

Por outro lado, isso exemplifica bem. E não é a primeira vez que alguém faria isso. O grafeno foi um material descoberto em 2004 por físicos russos. 

Eles usaram esse mesmo método para obtê-lo. Com essa descoberta também foi dado a ambos o prêmio Nobel da física em 2010.

No entanto, naquela época não se tinha noção de como conseguir rapidamente o grafeno. As pesquisas então começaram e hoje já existem métodos simples para tal função, e, como já dito, baratos!

A melhor forma de encontrar o grafeno na natureza é a partir do grafite. Isso é suficiente para retirar uma pequena quantidade, mas ainda é um processo que demora bastante, por isso é pouco viável.

O primeiro ponto para entender tudo é saber que ele é feito a partir do carbono, na verdade, ele representa uma das várias formas deste material. 

Algumas outras você deve conhecer, como é o caso do diamante e também do grafite.

Com isso em mente, já dá para entender um pouco mais sobre sua extração também. Ele é sim tirado do carbono, geralmente o grafite é o material utilizado para tal. 

Apesar de todos os importantes pontos a seu favor, como a alta condutividade térmica e elétrica, além da resistência fora do comum, a estabilidade química do grafeno é extremamente reduzida quando ele é formado em formato bidimensional. 

Economia com grafeno

Sim! A pesquisa está em nível avançado, como o material pode revolucionar quase tudo que há na terra, muitos especialistas trabalham para descobrir mais sobre ele. 

No entanto, o material ainda é muito limitado a testes em laboratório. Não são tão viáveis para uso fora desses ambientes ainda.

Esse é um processo que pode demorar bastante, segundo os próprios pesquisadores. Alguns acreditam que o tempo médio seja de 20 anos. 

É claro, desde sua descoberta até agora o material já possui 18 anos, mas o otimismo na pesquisa nos leva a acreditar que não irá levar mais tanto tempo!

Por isso o preço de negociação do material ainda é caro. Apesar de ser barato, o preço de comercialização já é de US$ 275. Isso porque há uma corrida tecnológica para saber quem irá dominar esse mercado. 

Por fim…

Apesar do grafeno ser um material com possibilidades de ser utilizado em vários locais, há pouco o que se dizer quanto a seu uso. 

Ele é sim eficiente, mas ainda está em fase de teste. Só o tempo dirá se sua aplicação na indústria é de fato uma revolução.

Normalmente é um processo que demora anos. É claro, principalmente quando falamos de um material que poderá substituir o silício em vários chips, por exemplo. 

Sua resistência, leveza, elasticidade, melhor condução térmica e elástica é o que faz ele ser tão reconhecido.Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com o site Mineração Brasil, um site especializado em mineração para você atento sobre o assunto.

Preto Café Editoria

Portal com as melhores notícias e conteúdos diários escolhidos especialmente para você. Aqui no Preto Café só fica mal informado quem quer. Seja bem vindo e desfrute do melhor portal de conteúdo da internet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo