Perguntas Frequentes

Nesta página, pretendemos responder às questões que mais ouvimos quando apresentamos o Preto Café e seu conceito para as pessoas. Se sua pergunta não estiver contemplada nesta lista, mande-nos um e-mail ou apareça pra um café e pergunte pessoalmente!


Como funciona?

É tipo um café, mas mais gostoso. Fique à vontade para pedir qualquer coisa que estiver no cardápio, e para usufruir do espaço: mesas individuais, mesas coletivas, bancadas de trabalho e poltronas estão à disposição. E wi-fi, claro, porque isso não se nega a ninguém. Antes de ir embora, ao invés de receber uma conta discriminando um valor, você receberá um convite para deixar uma doação no valor que quiser na bancada para doações. É com base nessas doações que o Preto Café se mantém.

Que valor é adequado?

Não tem um valor “ideal”, depende do quanto você curtiu a experiência, de quanto pode/quer doar, quanto você acha justo. Para ajudar nessa decisão, a gente atualiza diariamente um quadro, onde discriminamos o nosso custo de operação mensal e quanto já arrecadamos até o dia anterior. Outra dica é pensar: quanto um lugar que não te dá essa liberdade te cobraria pelo que você consumiu conosco? Vale a pena doar mais, menos ou igual você pagaria nesse outro lugar?

E se alguém doar menos do que deveria?

Nosso foco não está nas doações individuais, mas no montante de doações no mês. Se alguém doar menos do que o custo do que consumiu, a gente espera que as outras doações ajudem a suprir esse “déficit”. O sistema tende a se equilibrar. E nada impede que alguém doe menos porque estava com a grana mais curta, mas na semana seguinte volte e deixe um pouco mais, né?

E se vocês arrecadarem mais do que o previsto no fim do mês?

Que beleza! O excedente, neste caso, é destinado a um fundo da associação. Este fundo serve para custear melhorias do espaço, compra de equipamentos, e para fazer um pé de meia para casos de emergência, e para seguirmos funcionando em períodos de vacas magras — bate na madeira! (Pelo nosso estatuto, o dinheiro excedente é da associação, não podendo ser distribuído aos participantes.)

E se o caixa no fim do mês não fechar?

Neste caso, a diferença é custeada pelo fundo da associação (e, no limite, do nosso próprio bolso). Daí, nos organizamos para correr atrás do preju nos meses seguintes, com mais eventos, programação etc. O Preto Café só continua funcionando, no médio prazo, se o modelo da transparência e da colaboração mostrar que pode funcionar. Ou seja: você é a chave desse experimento louco.

Esse modelo funciona?

Queremos que funcione, e por isso contamos com o apoio de quem também acredita nesse formato. No Rio de Janeiro os amigos do Curto Café já funcionam nesse modelo há quase dois anos, com sucesso. Em São Paulo, acaba de ser inaugurado o Instituto Chão, que também funciona neste formato.

Vocês emitem nota fiscal?

Não, pois não vendemos nada: nós cedemos espaço, internet, cafés, comidinhas e oficinas, e recebemos doações como retribuição e como contribuição para que o Preto Café continue existindo. No entanto, podemos fornecer recibos referentes às doações recebidas, caso seja de interesse.

Vocês pagam imposto?

Sim. Não são os mesmos impostos que incidem sobre o comércio, mas impostos que incidem sobre doações. A alíquota é um pouquinho maior, inclusive (4% do ITCMD sobre 3,2% do ICMS).

É para garantir a total transparência sobre os montantes arrecadados que temos uma política rigorosa e aberta de contabilidade. Diariamente fazemos a contabilização das doações recebidas no dia, o que imediatamente é atualizado no quadro das arrecadações do mês e na nossa planilha online, que pode ser conferida no site. Esta contabilização é feita no próprio ambiente do café, aberta a quem quiser acompanhar, ao fim do expediente.

O Lucas e o Mau são irmãos?

Não.